Posts Tagged ‘energia eolica’

Energia limpa vai gerar 8 milhões de empregos!

Quarta-feira, Setembro 16th, 2009

Até 2030, a indústria de energias renováveis e o aumento da eficiência energética podem promover 8 milhões de novos empregos no mundo. O cálculo foi feito pelo Greenpeace, em parceria com o Conselho Europeu de Energias Renováveis, e divulgado ontem, na Austrália, com o relatório “Trabalhando para o clima: energias renováveis e a revolução dos empregos verdes“.

Só no Brasil seriam cerca de 600 mil empregos, especialmente nos setores de biomassa e energia eólica. A substituição do carvão por fontes renováveis de energia pode gerar o triplo de ocupações - seriam 2,7 milhões de postos de trabalho a mais - isso sem falar na não-emissão de 10 bilhões de toneladas de gás carbônico.

A condição para chegarmos a esses números de empregos verdes está diretamente ligada com as decisões que serão tomadas em Copenhague, durante a 15ª COP - Conferência das Partes, da ONU. A expectativa do Greenpeace é que o acordo firmado preveja uma grande redução de emissões de carbono, de modo que o aumento de temperatura no planeta não passe de 1,5º C.

De acordo com a ONG, as emissões devem atingir seu nível máximo até 2015 e serem reduzidas drasticamente até 2050, quando deveriam estar próximas de zero. Para isso, os países desenvolvidos precisam assumir um compromisso de diminuição de carbono de, pelo menos, 40% até 2020, sendo que ¾ disso deveriam ser feitos internamente. Já os países em desenvolvimento devem contribuir com uma redução entre 15 e 30% até a mesma data, contando com o apoio dos países ricos. O desmatamento-zero tem que ser atingido nos próximos dez anos.

Fechado o acordo em Copenhague, cada país deve implementar políticas públicas que incentivem a pesquisa e o desenvolvimento de energias renováveis e de tecnologias que aumentem a eficiência energética para a geração dos milhões de postos de trabalho.

A conta mostra, mais uma vez, que a crise econômica e a crise ambiental têm solução comum: a sustentabilidade do planeta.

Energia eólica excedente vai ser usada em carros elétricos

Quarta-feira, Agosto 12th, 2009

As baterias dos carros elétricos vão servir para armazenar a energia eólica excedente na Dinamarca, acabando com o desperdício. Em 2020, a Dinamarca espera produzir mais da metade de sua energia através dos ventos. Os carros elétricos, cujo potencial o país também pretende explorar, é outra medida adotada para diminuir as emissões de CO2.

O que a energia eólica e os carros elétricos têm a ver?

Toda a energia excedente advinda dos ventos será canalizada para as baterias dos carros, armazenando o excesso de energia produzida. Para isso o país está construindo uma estrutura operacional que deve estar vigente em 2011.

“O ideal seria armazenar o excesso para usar para quando não há vento, mas como não conseguimos fazê-lo, vamos usá-lo nas baterias dos carros e nas bombas de calor (equipamentos que transformam a eletricidade em calor)”, afirmou Peter Jorgensen, da Energinet, a empresa dinamarquesa que gerencia os sistemas de eletricidade e gás natural

Os carros vão ter um sistema de navegação avançado que mostrará a rede de estações de troca e postos de carregamento e indicará quando é necessário carregar a bateria.

No entanto, o preço destes serviços ainda está por definir. “Ainda estamos a trabalhar nisso, mas será muito mais barato do que guiar um carro a gasolina. Daqui a seis ou doze meses já teremos novidades”, garantiu o responsável da Better Place dinamarquesa, Jens Moberg.

Os carros elétricos vão também potenciar energias alternativas, como a eólica, que pode ser usada para carregar os carros durante a noite quando o consumo de eletricidade é menor.

A Better Place estima que, se os 2,2 milhões de automóveis dinamarqueses movidos a combustíveis fósseis forem substituídos por veículos elétricos serão necessárias 700 turbinas eólicas para os alimentar.

Nos postos de carregamento das baterias, que vão estar instalados nas cidades, junto das habitações e dos empregos, será necessário esperar cerca de duas horas para voltar a usar o carro, mas se o automobilista optar pelas estações de troca de baterias, o processo não vai demorar mais do que 40 segundos.

Os veículos elétricos e o aumento do potencial eólico permitirão reduzir fortemente as emissões de gases com efeito de estufa na Dinamarca.

Um carro a gasolina ou a diesel emite pelo menos quatro toneladas de dióxido de carbono num ano, por cada 20 mil quilômetros.

Um Festival de exemplos!

Segunda-feira, Julho 6th, 2009

O Festival Roskilde de Rock - Dinamarca - se tornou um bom exemplo de que as tentativas para se tornar mais “verde” têm atingido diferentes camadas sociais e tipos de pessoas. E, ao que parece, tem dado bastante resultado.

O Festival contou com diversas iniciativas que visam a sustentabilidade e a ajuda a países e locais menos favorecidos. Entre os contemplados com a boa vontade dos “roqueiros”, estava um projeto sustentável de água no Malawi e um projeto em que os espectadores geravam a própria energia do local. Era preciso ficar 5 minutos pedalando uma bicicleta para gerar energia.

Houve também muito incentivo ao uso de bicicletas para se chegar ao local dos shows e a toda a energia usada na infra-estrutura do lugar foi gerada por uma turbina eólica, deixando o evento com emissão de carbono Zero.

Entre muitas outras iniciativas sustentáveis, uma pareceu ser bastante proveitosa: um depósito em dinheiro para poder retirar qualquer copo ou garrafa de plástico. Ao retornar os recipientes, as pessoas pegavam o dinheiro de volta. Com essa iniciativa, os organizadores do Festival conseguiram recolher cerca de 95% das garrafas e copos distribuídos.

Houveram muitas outras iniciativas. Se quiser ler mais, visite o site TreeHugger. (matéria completa em inglês)

Soluções simples que dão certo!

Criatividade + Boas intenções = Sustentabilidade e um mundo melhor!

A máfia ecologicamente correta: Sicília!

Segunda-feira, Março 23rd, 2009

A Sicília, um lugar marcado pelas ações da máfia italiana, talvez não pareça o cenário ideal para dar um bom exemplo ao mundo, mas  parece que é exatamente isso que vai acontecer.

Com a intenção de fazer a “3a. Revolução Industrial”, a ilha da Sicília - 5 milhões de habitantes - está na iminência de traçar um caminho visionário na busca de energias renováveis baseado no conceito de que consumidores individuais de eletricidade também podem se tornar produtores por meio de prédios super-eficientes e assim guiar o mundo para a saída do “crepúsculo” da era de combustíveis fósseis e de tecnologia nuclear da Guerra Fria.. O plano de energia da Sicília foi revelado no final de semana em Palermo.

Jeremy Rifkin - professor americano e consultor de energia da Comissão Europeia - manteve seu público hipnotizado por uma hora, explicando como a humanidade escorregará para a aniquilação climática se não mudar radicalmente de curso e adotar um futuro baseado no sol, vento, ondas e biomassa, além de tecnologia de hidrogênio para armazenar a eletricidade excedente.

“Se você pode criar uma Sicília sustentável, talvez possa criar um mundo sustentável”, concluiu, enquanto a plateia aplaudia de pé.


Por que a Sicília?

A principal razão é o fator geográfico da ilha. Além do sol que é presente o ano inteiro, os produtores de energia veem um mercado inexplorado e uma grande chance de crescimento. A máfia siciliana também vem “contribuindo” com o meio ambiente e se tornando “verde”. Recentemente, a polícia prendeu oito empresários e autoridades locais suspeitos de conspirar para garantir o financiamento para uma fazenda eólica.

A estratégia de energia renovável prevê € 5 bilhões de financiamento em cinco anos, na maior parte da União Europeia. Ele prometeu que impedirá qualquer tentativa de seus aliados do governo de centro-direita de Silvio Berlusconi de instalar uma usina nuclear na ilha.

Com a crise financeira, Rifkin se preocupa que os governos gastem muito tentando resgatar indústrias “antigas”, como a dos carros movidos a gasolina e indústrias nucleares, e que sobre pouco para o novo.

Ele elogia o presidente americano Barack Obama por ver o futuro na energia renovável, mas diz que Washington ainda está muito presa à ideia de usinas de energia eólica ou solar centralizadas e grandes em vez de adotar sua visão de “energia distribuída”, ou de prédios eficientes que podem vender o excedente de volta para o sistema através de “redes inteligentes”.

Trabalhando cidade por cidade -ele se recusa a dizer quais cidades na Europa por razões comerciais- Rifkin está reunindo o apoio de grandes empresas -inclusive IBM, Siemens, Philips Lighting, a imobiliária Cushman & Wakefield e outras- em seu grupo de planejamento.

A Agência Internacional de Energia diz que os prédios no mundo inteiro são responsáveis por mais de 40% do uso de energia e 24% das emissões de gases de efeito estufa.

Fonte: Uol

Senhor Vento!

Sexta-feira, Junho 20th, 2008

Genial vídeo feito para ilustrar como o vento - e a natureza! - pode ser nosso aliado! É só aprendermos a usá-lo a nosso favor.

Esse comercial, feito pela Epuron, foi vencedor do Leão de Ouro em Cannes.

Cidade abastecida pelo vento

Segunda-feira, Junho 2nd, 2008

Apesar de ser o país mais contestado no mundo em termos ambientais, os EUA é um grande celeiro de boas novidades.

A mais recente notícia vem de Rock Port, no estado de Missouri. Rock Port se tornou a primeira cidade americana a ter toda sua eletricidade advinda de geradores eólicos. A construção é uma parceria entre Wind Capital Group e a John Deere Wind Energy, duas empresas especializadas em financiar projetos rurais por todo os EUA.

A nova construção tem capacidade para gerar 5 megawatts por dia e tem como expectativa gerar 16 milhões de Kwh de eletricidade por ano.

A independência energética de Rock Port tem sido invejada por muitas outras cidades no mundo. A energia gerada pelo vento é uma das grandes apostas para solucionar boa parte dos problemas energéticos e ambientais. Apesar de se tratar de uma cidade pequena (cerca de 1.400 pessoas), a iniciativa é louvável e ecologicamente correta.

A nós, resta torcer. Que seja o vento o nosso salvador!

Cargueiro à vela!

Terça-feira, Abril 8th, 2008

Energia eólica é a energia obtida pelo movimento do ar (vento). É uma abundante fonte de energia, renovável, limpa e disponível em todos os lugares, apesar de seu alto custo para implantação.

Com a corrida frenética em busca de energia, muitos países e setores da indústria procuram novas formas – mais baratas e limpas – de obter energia. Em todo o mundo a energia eólica vem ganhando espaço. Na Espanha, por exemplo, em um dia de ventos mais fortes, cerca de 40% (cerca de 9.800 megawatts) do país é abastecido exclusivamente por esse tipo de energia. Veja também!

Outro grande exemplo da utilização da energia dos ventos é o MS BELUGA SKYSAILS. Um cargueiro parcialmente movido por um kite (vide foto) que tem como objetivo principal reduzir os custos com combustível. Em sua primeira viagem, da Alemanha à Venezuela, o cargueiro conseguiu uma redução no consumo de combustível de até 35%, dependendo das condições do vento.

O transporte marítimo é um dos principais vilões da emissão de CO2 lançados na atmosfera. Ultimamente, a frota mercante tem sido criticada por não fazer o suficiente para combater o aquecimento global. De todo o CO2 lançado na atmosfera, 4% provém de navios, mais até do que a indústria da aviação.

Será que voltaremos ao tempo em que os grandes navios eram movidos apenas pela força da natureza? Duvido, mas fica aqui a idéia!

Dica do Marcelo via O Velho.